MUNDO POR TERRA – Lembranças da Finlândia

Veja mais posts do MUNDO POR TERRA  >>>>

Dando seguimento a viagem, nós partimos de São Petersburgo, Rússia, e dirigimos para a Finlândia. Nossa expectativa era alta, especialmente por sabermos antecipadamente da grande quantidade de lagos que existem nesse país, que é considerado o país do mundo com a maior área alagada em proporção ao seu território. Era verão e pelo jeito, nossa canoa seria a melhor forma de aproveitarmos a natureza nórdica. Mas havia mais um motivo que nos deixava ansiosos – reencontraríamos Helena, Marcus e seu filho Davi, amigos que não víamos desde nossa festa de despedida há três anos atrás.

416_mundo_por_terra_finland

Helena e Davi vieram a nosso encontro em Porvoo. Após os abraços de reencontro, fomos caminhar na cidade que é a segunda mais antiga do país, conhecida por suas casas em madeira do século 18 e 19 muito bem preservadas e pela catedral do século 15. É curioso que trinta por cento da população de Porvoo fala sueco como língua mãe. Isto se dá pelo país ter pertencido ao Reino da Suécia no passado.

417_mundo_por_terra_finland

Em Helsinque, a capital, onde nossos amigos moram, Marcus nos aguardava com uma torta de cogumelos, salada e vinho e a conversa para nos atualizarmos do que aconteceu com cada casal nos últimos anos se estendeu noite adentro.

418_mundo_por_terra_finland

Em Helsinque, a capital, onde nossos amigos moram, Marcus nos aguardava com uma torta de cogumelos, salada e vinho e a conversa para nos atualizarmos do que aconteceu com cada casal nos últimos anos se estendeu noite adentro. Nós ficamos alguns dias na cidade e, guiados pelos amigos, fizemos vários passeios – alguns a pé, outros de carro, bicicleta ou canoa. A canoa nos rendeu boas risadas. Roy e Marcus, num descuido, viraram a canoa e experimentaram as águas congelantes do Golfo da Finlândia.

419_mundo_por_terra_finland

Conhecemos a Biblioteca da Universidade, com seu design interno simples e cativante. Visitamos igrejas, museus, mercados, praças e palácios e ficamos felizes ao ver que, mesmo que tão criativos, os finlandeses deixaram um espaço para a arte brasileira numa passagem subterrânea da cidade – uma pichação dos artistas “Os Gêmeos”. Nós visitamos também a Ilha Suomenlinna, com ruínas de fortificações antigas construídas para proteger a cidade dos russos.

420_mundo_por_terra_finland

O verão nos países nórdicos é uma delícia, pois a luz do dia praticamente não se extingue. Numa oportunidade em que os homens (Marcus e Roy) fizeram um passeio de bicicleta, viram o sol se pôr pela meia-noite e nascer duas horas depois. O passeio percorreu trilhas e plataformas sobre a região alagada da cidade, que levavam a locais próprios para a observação de pássaros. Tudo lá é feito com muito zelo e capricho, mostrando que os governantes realmente trabalham para o povo.

Nós seguimos viagem para o Nordeste do país e nossos amigos, que estavam no começo de suas férias de verão, foram para ao Oeste para participar de um concerto musical. Mas o plano era de nos reencontrarmos para passarmos mais alguns dias juntos.

421_mundo_por_terra_finland

Como a natureza era o que nos chamava, deixamos a cidade e fomos em busca dos lagos e da ótima infraestrutura que o país tem para se acampar. Há inúmeros campings gratuitos com banheiros limpos (com papel higiênico) e churrasqueiras, onde inclusive a lenha é fornecida gratuitamente. Junto a pilha de lenha era sempre deixado serrote e machado para que pudéssemos pica-la, quando a lenha cortada acabasse. Na Finlândia existe uma regra chamada “everyman’s right”; em português: “direito de todo homem”. Isso significa que mesmo que hajam terrenos particulares, todos, sem exceção, podem passar por ele, desde que seja a pé. É uma terra sem porteiras.

422_mundo_por_terra_finland

Um passeio maravilhoso de dois dias que fizemos com nossa canoa foi no Parque Nacional Kolovesi. É uma região de lagos, com ilhas por todos os lados, que criaram labirintos para os barcos. O que mais nos atraiu para lá foi que não são permitidos barcos a motor, então o silencio e a total interação com a natureza estavam garantidos. Nós remamos diversos quilômetros em dois dias, as vezes por partes abertas e outras por passagens estreitas, sempre atentos a movimentos que pudessem acontecer na água, pois o parque é habitat de uma espécie de foca rara, conhecida por Foca Anelada de Saimaa.

423_mundo_por_terra_finland

O Parque Nacional Koli foi mais um destaque da viagem. Localiza-se as margens do Lago Pielinen, com suas ilhas estreitas e compridas. De uma montanha com aproximadamente 350 metros de altitude foi possível ver o lago todo, que é muito bonito. A propósito, essa é uma das paisagens preferidas dos finlandeses, já que é um dos únicos lugares do país onde é possível se ter uma vista do alto. Em Koli nós tentamos, inclusive, decolar nosso paramotor para fotografar o lago de outros ângulos, mas infelizmente não conseguimos, mesmo depois de inúmeras tentativas. Terminamos nosso dia num lindo lugar para acampar, mas com a sensação amarga da missão aérea não cumprida.

424_mundo_por_terra_finland

A Finlândia também é sinônimo de sauna. A propósito, “sauna” é um nome finlandês, um dos únicos dessa língua que se tornou internacionalmente utilizado, já que foi inventada nesse país. Dizem que existe uma sauna para cada 2 pessoas, ou melhor, existe quase uma sauna em cada casa. Quando surgia uma oportunidade, aproveitávamos, pois mesmo que viajávamos no verão, o clima estava frio. A melhor que experimentamos ficava num camping, mas o único horário livre que conseguimos foi a meia noite. Mesmo assim foi uma delicia, ainda mais quando intercalávamos o calor com um mergulho no lago gelado. Sentíamos nosso sangue pulsar nas veias.

425_mundo_por_terra_finland

O Parque Nacional Hossa foi o último que conhecemos na companhia de nossos amigos. Lá, pela latitude elevada, passamos a ver muitas renas e sentir na pele, cada vez mais, a presença dos mosquitos. Foi aniversário da Helena e para comemorarmos, continuamos acampando, caminhando, remando e jogando conversa fora até altas horas da noite. Para se ter uma ideia do quão claras nossas noites estavam, numa delas jogamos baralho até as duas da manhã, sem qualquer luz de lanterna ou lampião.

426_mundo_por_terra_finland

Infelizmente o período de férias de nossos queridos amigos havia chegado ao fim, então tivemos que nos separar. Eles voltaram para a capital Helsinque e nós continuamos nossa viagem ao norte, para voltarmos pela quinta e última vez à Rússia. Dessa vez para a inóspita região da Península de Kola.

Sobre MUNDO POR TERRA – Roy & Michelle
Volta ao Mundo 2 – Pretendemos atingir a Latitude 70° Norte em 3 pontos no globo: Prudhoe Bay (Alasca), Nord Kap (Noruega) e Pevek (Rússia).
  mundoporterra.com.br
   /MundoPorTerraUmaFascinanteVoltaAoMundoDeCarro

Ediçao #6 Chegou

01d_SingleMag_500_sidebar_site

Melhores Preços na Loja Overlander

01-SideBarAd_50

Coleção Overlander

07_Bothitems_home

Conheça os Livros

01_Capa_500x385
01a_DayTrippers_SidebarAd
01_Capa_500-sidebar
02_CYD_APM_sidebar
03_CYD_BPT_Sidebar
Livro_standing_3D_shadow_sidebar
01a_Capa_livro_ViajologoExi_500x385
02a_Capa_livro_ViajologoExi_500x385
03a_Capa_livro_ViajologoExi_500x385
04a_Capa_livro_ViajologoExi_500x385

Deixe uma resposta