Minha Viagem

Pegou a estrada e curtiu uma viagem? Tem fotos e vídeos para compartilhar? Histórias para contar? Envie-nos! Aqui reunimos viagens de todos os amigos overlanders.

Nas Estradas do Palaneta – Serra da Canastra

Maio 2015 – Carlos Roberto, Gleidys e Fredy (o gato viajante)

010_CanastraAbastecemos nossa casa sobre rodas, e apresentamos o roteiro ao nosso companheiro de viagens, o gato Fredy. Com o circuito devidamente aprovado por todos, partimos em direção à Serra da Canastra. Nosso objetivo: conhecer o Lago de Furnas (Mar de Minas) e a grande Cachoeira Casca D´Anta (a primeira grande queda do Rio São Francisco, junto a sua nascente).

Estabelecemos nossa base no Camping do Rio Turvo, na cidade de Capitólio É cercada pelo grande Lago de Furnas que, em razão da forte estiagem, já perdeu 18 metros, desde 2013. Este lago é maior que 4 Baías da Guanabara, formando lagos, cachoeiras, balneáreos e piscinas naturais, que convidam para incríveis passeios de barco, pesca esportiva, mergulho ou a prática do ecoturismo. O passeio pelo lago, nas lanchas rápidas, custa, R$60,00 por pessoa (salgado, mas você não pode deixar de fazer). A lancha tem capacidade para 12 pessoas e a locação exclusiva sai por R$600,00. Dura em torno de 4 horas. A sequência dos atrativos é: Vale dos Tucanos (um pouco prejudicado pelo nível do lago), Cascata e Cachoeiras do Canyon e Lagoa Azul.

008_CanastraA beleza se concentra na cor, transparência das águas e nos paredões de pedra calcária, parecendo verdadeiros empilhamentos intencionais. A presença do sol dá luz e brilho especiais à já linda cor do lago. Praias douradas, junto a paredões de cascatas transformam o lugar a cada curva. Considere o fato de que o nível do lago está 18 metros abaixo do normal. Onde hoje existem lindas praias, antes eram áreas navegáveis. Belezas se vão, dando lugar a outras. Um dia de contato intenso com  a água, drena nossas energias. Nada mais indicado que conferir a fama internacional do prato típico do lugar. A Traíra Desossada do Restaurante do Rio Turvo. A traíra é feita a milanesa, recheada com azeitonas, palmito e muçarela. Coberta com requeijão e batata palha, maios acompanhamentos. Imperdível.

Outro atrativo que exige sua visita, além dos tantos outros presentes na região, é a Cachoeira Casca D´Anta, em Vargem Bonita, onde temos acesso à portaria 4 do Parque Nacional da Serra da Canastra, na sua parte baixa. Após uma trilha leve de 800 metros, toda protegida pela mata, bordeando o rio pela sua margem esquerda, chegamos ao poço da grande queda (186 metros). A grande queda que despeja suas águas do alto da serra pode ser vista a quilômetros de distância. Considere levar uma máquina fotográfica com proteção para água. O spray junto à queda é muito intenso. O nome Casca d´Anta vem da árvore de mesmo nome, que, por sua vez, foi assim batizada, porque tem propriedades medicinais cicatrizantes. Segundo os pesquisadores, a anta se esfrega no tronco da árvore para curar ferimentos superficiais. O desnível total da queda é de 350 m, numa sequência de 5 saltos, sendo o último o mais bonito, com 186 metros de muito volume e intensidade.

014_CanastraBanhar-se no Velho Xico, junto a sua nascente, energizada pela potência de sua primeira queda, não tem preço. Que frio que nada. rssss Há muito mais que se ver na região. Muitas e não menos belas cachoeiras estão espalhadas pela Serra da Canastra, exigindo do turista mais tempo para explorá-las. Dentre elas a Cachoeira do Fundão (53km de São Roque), Cachoeira do Rolinho (37km da cidade) e mais 14 outras! Que tal uma Galinha Caipira e angu recheado com queijo canastra? Nossa modesta mas, mágica cozinha, homenageia a região com este saboroso prato. Um regalo ao caminhante que não mede distâncias para ir ao encontro da natureza mais exuberante.

As fotos a seguir vão convencê-lo a planejar uma investida a região da Serra da Canastra, que pode ser visitada tanto pela parte alta (Capitólio) como pela parte baixa (Delfinópolis).

02_Vídeo copy    Veja os dois vídeos aqui Lago de Furnas & Cachoeira Casca D’Anta

2 thoughts on “Nas Estradas do Planeta

Deixe uma resposta