PANELA VELHA É QUE FAZ COMIDA BOA (Parte 2)

Veja esta matéria na íntegra na Edição #5 da REVISTA OVERLANDER

Quando se pensa em viajar de carro, o primeiro veículo que vem à cabeça da maioria das pessoas é um carro robusto, forte, 4×4, que aguente o tranco. Mas não é bem assim, o mais importante em uma “viagem dos sonhos” não é o veículo mas sim o estilo, vontade e atitude. Conheça a história de três casais que desbravam o mundo com seus carros antigos, mais que especiais!

Parte 1 aqui >>>> & Parte 3 em breve . . .

001_CarrosAntigos

CONQUISTANDO O MUNDO – Caçadores de Sonhos (Parte 2)

Texto & Imagens: Linho Bergamin e Vanessa Zandoná Sartori 

REAÇÃO

Nosso carro? Nossa casa? Decoração do casamento? Integrante da viagem? Ou será um meio de transporte para a felicidade?

O primeiro dia da volta ao mundo foi o nosso casamento, a decoração principal da boda foi a Imperfeição — ela estava na área central da festa com o bolo de casamento sobre a sua mesa. Foi o dia em que o Jeep estava mais organizado e limpo de toda a viagem; por coincidência, nós também.  Eram 2h30m da madrugada, demos partida no carro e paramos na porta de saída do salão de festas, subimos no capô e olhamos para os nossos melhores amigos. Foi arrepiante e inesquecível o “até logo, pessoal” de nossa despedida.

Agora éramos eu, o Linho, a Imperfeição e a volta ao mundo!

012_CarrosAntigos

Nos primeiros dias da viagem já percebemos e entendemos as vantagens de viajar com um carro velho. Desde o sorriso de impressionada da atendente do pedágio; sinais de luz pelas estradas e buzinas de carros passando; pessoas nos levando para suas casas, policiais interessados no Jeep que, em vez de avaliar documentos, revistar o carro, queriam tirar fotos e conhecer o projeto. As portas de um carro velho nem sempre abrem e fecham de primeira, porém a Imperfeição sim “abre muitas portas”.

Em Arequipa, no Peru, conhecemos o Emanuel. Após ele nos contar o seu sonho maluco de se reencontrar com ETs, ele nos disse:

— Parabéns, conseguiram construir um carro para realizar esse projeto de vida que tem a mesma personalidade que vocês transmitem.

Para nós este era um reconhecimento do trabalho dos últimos cinco anos..

016_CarrosAntigos

É comum as pessoas que não conhecem o projeto, e não entendem a vida de um overlander, pensarem “eles têm muito dinheiro”. Esse é outro ponto positivo para o carro antigo, que ajuda a quebrar este tabu transmitindo de uma maneira clara o quão simples é a vida na estrada.

Temos um diário de bordo onde inserimos dados estatísticos sobre a viagem. Um dos indicadores que mais gostamos é o de multas revertidas. Alguma imprudência que infelizmente cometemos e com bastante humildade e conversa conseguimos explicar e reverter. O Jeep velho é peça fundamental nestes casos. Certamente com um carro do ano a compreensão dos policiais não seria a mesma.

013_CarrosAntigos

Faróis desligados no Peru, ultrapassagem em local proibido na Colômbia, duas imprudências inventadas por policiais corruptos na Nicarágua, voltar na contramão na divisa do México com os EUA por não ter carimbado a saída mexicana, excesso de velocidade em Moçambique e na Tanzânia.

Uma delas ocorreu no Kruger National Park na África do Sul — estávamos fazendo safári, avistamos uma concentração de carros a nossa frente, vimos que era um guepardo com três filhotes, já tínhamos eito seis safáris e nada deste bicho. Não pensei duas vezes, coloquei o corpo para fora do carro e sentei na janela. Estávamos em movimento, seguindo o guepardo que desfilva a nossa frente, em meio à estrada com seus filhotes. Conegui admirar e fotografar lindas imagens.

Tudo andava bem. Ao fial da tarde, no portão de saída do parque, fomos surpreendidos por três policiais que nos apresentaram uma multa de US$ 500,00 “pelo motorista ter saído do carro em movimento”. O carro que estava atrás do nosso achou que a mesma pessoa que estava fazendo as fotos (sentada na janela com o carro em movimento) também estava dirigindo (na África do Sul é mão inglesa e normalmente o volante fia no lado direito do carro). Um tanto impossível, mas foi o que pensou e ligou para a portaria e nos “denunciou”.

Mais uma vez, paciência, humildade, calma para explicar a situação, assumir o erro (mesmo não sendo o motorista não poderíamos ter fiado do lado de fora da janela) e com uma conversa agradável conseguimos reverter mais uma multa.

014_CarrosAntigos

Na categoria de “portas abertas” foram mais de 30 famílias que nos receberam nos primeiros 15 meses da viagem. Certo dia, precisávamos abastecer, paramos em um posto de combustível, mas estava US$ 0,10 mais caro que os outro postos. Resolvemos seguir para o próximo e estávamos certos, pois encontramos diesel com melhor preço. Enquanto abastecíamos, um casal de aposentados começou a perguntar sobre o projeto, nos convidou para tomar um café e conhecer um pouco de nossa história. Aceitamos o convite e fiamos uma hora conversando.

017_CarrosAntigos

Na hora da despedida fomos perto do carro tirar uma foto dos quatro e eu disse que eu faria a foto, pois na noite anterior tínhamos feito wild camping e não tinha tomado banho, estava com o cabelo muito oleoso, não queria aparecer. Despedimo-nos e partimos. Dois minutos depois, estava o simpático casal dando sinal de luz atrás de nós — paramos e nos perguntaram:

— Vocês querem tomar um banho quente?

Foi o melhor presente que poderíamos receber naquele momento, nem precisei dizer sim, a cara de felicidade que fiz dizia tudo! omos à casa de campo do casal que fiava às margens do lago Michigan, nos EUA. Tomamos um banho maravilhoso, e ainda a sra. Marlana preparou uma bolsa com o almoço, frutas e lanches para o dia. Ficamos com o endereço do casal e quatro dias após voltamos a nos encontrar em sua casa em Detroit. Passamos um fial de semana confortável com cama, banho quente, comida, lavanderia e principalmente novos amigos.

015_CarrosAntigos

O falecido sogro do Pat trabalhou anos na Chrysler e nós, com o possível rótulo de ser o Jeep mais velho a dar a volta ao mundo, fomos recebidos pela equipe de engenheiros da montadora. O museu que abria somente aos domingos, foi aberto de forma exclusiva em uma terça-feira. Tudo isso proporcionado pelo efeito borboleta dos 10 centavos de dólar.

Veja esta matéria na íntegra na Edição #5 da REVISTA OVERLANDER

Parte 1 aqui >>>> & Parte 3 em breve . . .

Ediçao #7 Chegou

01a_SingleMag

Melhores Preços na Loja Overlander

01-SideBarAd_50

Coleção Overlander

10b_New_all_Items_blue_sidebar

Conheça os Livros

01_Capa_500x385
01a_DayTrippers_SidebarAd
01_Capa_500-sidebar
02_CYD_APM_sidebar
03_CYD_BPT_Sidebar
Livro_standing_3D_shadow_sidebar
01a_Capa_livro_ViajologoExi_500x385
02a_Capa_livro_ViajologoExi_500x385
03a_Capa_livro_ViajologoExi_500x385
04a_Capa_livro_ViajologoExi_500x385

Deixe uma resposta