PROJETO MUNDO CÃO – O Carro “Menos é Mais”

Veja mais posts do MUNDO CÃO  >>>>

251_CarroPreparar um veículo para grandes expedições é algo muito particular e personalizado, considerando que cada viagem é diferente e há muitos fatores para levar em conta. Como geralmente temos medo do desconhecido tendemos a nos precaver de todas as situações que possam acontecer e sempre levamos muito mais do que realmente necessitamos, transformando o veículo em um depósito.

Basicamente você deve saber qual tipo de viagem pretende fazer e por quanto tempo, quantas pessoas vão embarcar nessa loucura e o nível de conforto necessário com base nas suas exigências. Vai ser uma viagem longa? Off-Road ou apenas por estradas pavimentadas? Hospedagem vai ser em hotéis, campings ou o carro será sua casa? Vai cozinhar na viagem ou comer em restaurantes? Qual sua tolerância em relação a banhos diários? Quanto você precisa de agua? etc., etc., etc.… e por aí vai. A lista é grande.

Não existe fórmula perfeita e ninguém sabe tudo!!! Portanto não use isso como guia, apenas inspire-se e mãos à obra, vai ser divertido depois de um tempo, acredite! O grande desafio está em responder estas perguntas baseando-se num planejamento prévio, e tentar colocar tudo dentro de um orçamento que nunca será o suficiente já que a criatividade pode chegar a níveis absurdos, e aí é onde mora o perigo. Estipule um limíte para você mesmo, seja financeiro ou de espaço mesmo. Antes de começar a aventurar-se na adaptação de um veículo para expedições não tente transferir sua vida atual para dentro do carro e tentar mudá-lo como se tudo fosse seguir da mesma forma, porque não vai. Ter uma vida de overlander, ou seja, viajar por longos períodos, vai ser uma mudança e tanto e se souber aproveitar este momento você nunca mais será a mesma pessoa.

252_CarroUm erro comum está em copiar fielmente projetos que já existem e depois de 1 mês de viagem perceber que se gastou muito onde não deveria ou, faltou algo. Cada um tem um tipo de exigência e as necessidades variam de acordo com a viagem, por isso vale reservar várias horas do seu tempo para pesquisas pela internet. Essa é a melhor ferramenta e a mais completa porque reúne ideias do mundo todo. Basta decidir e adaptar ao que você quer e pode fazer. Nunca devemos pensar que existe o projeto perfeito. Se você é empreendedor sempre vai encontrar algo que melhorar, e se for o inverso vai acabar copiando algo e tentar se adaptar as consequências.

Como nosso orçamento tanto para adaptar o carro, quanto para a viajem sempre foi muito apertado, tivemos que nos organizar e limitar ao que era possível modificar na Defender e começar a trabalhar, considerando sempre a data de saída. Sim, é importante ter uma data de saída, caso contrário você vai modificar seu carro pela eternidade e não vai a lugar algum. E muita gente já nos perguntou, depois de 2 anos viajando o mundo se mudaríamos algo em nosso carro. CLARO QUE SIM!!! Já teríamos feito uns 3 projetos diferentes e modificado praticamente tudo, só que a grana sempre fala mais alto e diariamente nos adaptamos as situações, preferindo seguir viajando ao invés de gastar uma grande quantidade de dinheiro com isso, afinal faz parte de qualquer viagem, adaptar-se!

Começamos desmontando a parte traseira do carro, onde seriam instalados os móveis, fizemos uma boa limpeza e isolamos o piso com manta asfáltica e placas de EVA, para evitar a entrada de agua e poeira. Não fizemos o teto, e com certeza teríamos feito se fosse hoje, pois ajuda no isolamento térmico, na acústica e ajuda a evitar a entrada de água pelo teto (essa vai para os amantes da Defender como nós). Por outro lado, agrega um pouco de peso ao teto elevando o centro de gravidade, mas não chega a ser algo que mude muito a dirigibilidade. Todo o projeto interno foi feito com compensado naval de 10mm, utilizando furos já existentes como ponto de fixação, porque na época não queríamos furar o carro ou mexer muito na originalidade, e queríamos algo que pudesse ser facilmente reversível. Apenas o gavetão traseiro ficou fixo utilizando a furação dos bancos rebatíveis. Se fosse hoje acho que tinha cortado o carro todo!

Os armários do piso foram fabricados em 3 módulos presos pelos furos do banco traseiro, e podem ser retirados em poucos minutos, sendo que um deles serve também de base para a geladeira e os demais apenas para roupas. O espaço é pequeno, mas suficiente para as nossas necessidades, e com essa configuração mantemos um grande volume de peso o mais baixo possível. No caso do armário lateral, se fossemos fabricá-lo hoje iriamos instalar do lado direito do carro, para distribuir melhor o peso pois nosso projeto contempla o toldo lateral e a segunda bateria no mesmo lado deste armário, o que aumenta o peso deste lado. Basta fazer as curvas pra direita devagar que não capota. É tranquilo!

Na elaboração do projeto dos armários consideramos principalmente o espaço que precisaríamos para dormir dentro do carro, e este era um ítem chave em nossa viagem. Em vários lugares isso faz TODA diferença e economizamos montanhas de dinheiro até hoje. Dependendo da dinâmica de sua viagem nem todo lugar dispõe de camping, ou você não quer procurar um camping, ou ainda você não está com saco de montar a barraca e por aí vai. Ou como é nosso caso não queremos gastar e nos preocupar com isso, e por fim dormimos onde é permitido e nos sentimos seguros, fazendo free camping todos os dias.

No assoalho do carro, originalmente onde os passageiros do assento traseiro colocam os pés, nós instalamos um tanque de água em inox de aproximadamente 70 litros, com uma bomba elétrica que serve como chuveiro frio e fornece agua para as necessidades diárias. Na saída de água usamos mangueiras de ar com engate rápido. Este tanque está preso por apenas dois parafusos aproveitando a base do banco traseiro. Outro ítem que em nosso caso faz toda diferença na viagem é a geladeira, mas tem que ser ¨geladeira¨ porque um cooler não vai ajudar muito em temperaturas acima de 30 graus. Isso nos permite ter uma alimentação mais saudável e francamente, poder acampar numa praia depois de um dia inteiro de estrada, e abrir uma cerveja gelada não tem preço! Usamos uma Waeco CF35 que pode ser alimentada por 12v, 24v, 110 e 220w, ou seja ligamos em qualquer fonte de energia sem medo de queimar, e após 2 anos de uso contínuo nunca apresentou defeito.

A parte elétrica foi melhorada também. Instalamos uma segunda bateria no mesmo compartimento da original. Usamos duas Optima de gel, sendo uma exclusiva para a partida do motor (vermelha), e outra de ciclo profundo (amarela) para os demais acessórios. Para carregar as baterias instalamos um novo alternador mais potente, de 120A do fabricante AMEC, e uma chave marítima da Blue Sea que gerencia todo o processo. O sistema de baterias também fornece energia 220V através de um inversor de 2000W. Tanto o alternador como o Blue Sea nunca deram defeito e até o momento rodaram 75.000km. É muito importante prestar atenção nesta equação entre baterias x alternador x uso destinado para que o sistema todo esteja equilibrado e você consiga carregar adequadamente as baterias e ter energia suficiente para dar partida no motor, e carregar qualquer equipamento quando estiver acampando no meio do nada. A iluminação interna foi bem simples, apenas colamos duas fitas de LED no teto que consomem pouquíssima energia.

No teto da Defender temos um bagageiro que foi adaptado para levar tudo o que necessitamos, e que não poderia ir dentro do veículo. Na parte posterior temos 3 caixas de alumínio que levam basicamente peças de reposição e itens de camping, um galão de 20 litros de diesel reserva, a barraca de teto, um toldo lateral do lado esquerdo e uma pá e um par de pranchas de desatolar do lado direito. Ainda temos um macaco inflável e um caiaque!! (eu sei, eu sei, não consegui evitaro caiaque, eu ganhei!). Ufa! um pouco pesado mas infelizmente não tivemos outra opção, e no caminho sempre vamos deixando algo pra livrar um pouco o peso, considerando que não estamos mais viajando, e sim vivemos dessa forma hoje em dia. Visualmente fica bonita mas não recomendamos. Se possível evite ao máximo colocar muito peso no teto porque isso compromete outros fatores, como dirigibilidade. Um dia melhoramos isso!

Na porta traseira da Defender instalamos uma mesinha extensível para apoiar o fogão e termos espaço para preparar as refeições. É muito prático e rápido para utilizar. Como dormimos praticamente em qualquer lugar, que seja grátis e seguro, instalamos alguns segmentos de trilho suiço em todo interior para utilizar as cortinas que a Eleni confeccionou e termos privacidade. Ficou muito prático prático. Como temos um carro adaptado e dormimos dentro temos que livrar espaço para arrumar a cama, e isso significa uma rotina diária de passar para os bancos dianteiros toda parafernalha que deixamos em cima do colchão durante o dia, como caixas de alimento, água, mesa dobrável, etc. Já não aguentávamos mais isso! Para melhorar essa rotina fizemos duas modificações, na primeira passamos o estepe para o capo. Encontramos nos USA um suporte da Front Runner e o instalamos junto com um reforço em aluminio fabricado no Brasil (oficina Ricardo Aita), para evitar fissuras comuns no capo devido ao peso do estepe. Como fazemos muito off-road, optamos por uma segurança extra colocando 4 pequenos suportes nos paralamas, onde passamos as cintas que seguram melhor evitando que o pneu se movimente com trepidação excessiva.

A segunda parte, e a principal, foi a fabricação e instalação de uma caixa em aluminio, utilizando o mesmo suporte que anteriormente levava o pneu estepe. Uma mudança simples que não precisa de grandes adaptações. O resultado foi ótimo. Dentro do carro estamos bem organizados, levando apenas duas pequenas caixas plásticas para alimento, uma com panelas e nossos travesseiros e cobertores.

Embora todas estas alterações que fizemos tenham sido essenciais para nosso estilo de vida, o mais importante e que recomendamos sem sombra de dúvida, é destinar grande parte de seus esforços e dinheiro para uma manutenção completa no carro, pois qualquer tipo de adaptação pode ser terminada ou modificada na estrada, e não vai te causar grandes problemas, mas um carro sem manutenção pode te deixar na mão e ser fonte de muito stress. Sempre confiamos nosso carro a oficina mecânica Land Ronald, e antes de cairmos na estrada fizemos tudo o que foi possível e o dinheiro possibilitou, e também que tivemos uma ajuda enorme do Ronald. Trocamos embreagem, correia dentada, molas e amortecedores, bomba de água, bomba de direção, bomba de vácuo, correias, algumas mangueiras, instalamos guincho, sensor de temperatura, farois de milha novos, Watchdog, etc., a lista foi grande!

Também colocamos um set novo de pneus, que é um ítem de muita discussão entre overlanders, e não existe um consenso sobre certo ou errado. Optamos mais uma vez por instalar os BF Goodrich All Terrain (todo terreno) ao invés dos Mud Terrain (proprios para lama). Mesmo fazendo muito off-road durante nossa volta ao mundo, a grande maioria dos percursos se faz por asfalto, e utilizando o modelo AT (todo terreno), temos um pouco dos dois mundos na medida do possível. Os Mud Terrain ficam lindos na Defender, mas não podemos decidir com base nisso e a segurança, conforto e durabilidade devem falar mais alto. Já rodamos os mesmos 75.000kms com nosso set e provavelmente conseguiremos chegar perto dos 100.000kms. Vamos ver.

Daqui pra frente só Deus sabe porque temos inúmeras idéias pra modificar totalmente a Mundrunga e melhorar nossa ¨casa¨. Quem sabe na Europa conseguimos fazer algo a baixo custo! Acompanhe!!!!! E a Mundrunga já mudou bastante nesses anos!!

Ediçao #5 Chegou

01c_SingleMag_Ed5_500

Coleção Overlander

07_Bothitems_home

Conheça os Livros

01a_DayTrippers_SidebarAd
01_Capa_500-sidebar
02_CYD_APM_sidebar
03_CYD_BPT_Sidebar
Livro_standing_3D_shadow_sidebar

Sobre PROJETO MUNDO CÃO – Eleni & Sergio
Um casal viajando de carro pelas Américas até o Alasca, distribuindo mais de 1 tonelada de alimentos para animais abandonados.
  www.projetomundocao.com.br/site/
   /pages/Projeto-Mundo-Cão

Deixe uma resposta