Revolteio – 10.000km pela América do Sul

01 a 30 de março de 2016 – Denis Corrêa Vivan e Michelle Catarina Pires
  www.revolteioblog.wordpress.com

Veja mais posts do Revolteio  >>>>

001_10000kmEm março de 2016, eu e Michelle saímos de férias pela América do Sul. Um mês em nossa Montana LS 1.4, com a carroceria adaptada em um motorhome (cozinha/cama).

Entramos no Paraguai por Guaíra (gasolina a R$2,50), atravessamos o país, parando em um camping no chaco, conhecemos o Lago Ypacarai, e as belas cidades de San Bernardino e Areguá. Na última, fomos ao Cerro Koi, um morro de rochas vermelhas. Nessa viagem nos propomos a colaborar de alguma forma. Recolhemos lixo nas trilhas (bastante, infelizmente).

Em Asunción ficamos no Hostel Arandú (ótimo). Passeamos no centro histórico, Avenida Costanera, museus, e o famoso Mercado 4. O Paraguai nos surpreendeu.

Na Argentina, visitamos o P.N. Rio Pilcomayo, com camping bem estruturado e gratuito! Fizemos trilhas, tudo bem sinalizado. Seguimos viagem, paramos em Salta, que nos encantou. Passeamos por toda a cidade e arredores – Cuesta del Obispo, Parque Los Cardones e Cachi. É incrível como a paisagem muda nesses locais. Ficamos também em Tilcara (Garganta del Diablo, Pucará de Tilcara). Passamos pelas Salinas Grandes e entramos no Chile pelo Paso de Jama.

No Chile, descemos os Andes e chegamos a São Pedro de Atacama. Muito turístico, e tudo bem caro. Passeamos pela cidade, Ojos del Salar, e Geyser del Tatio. Esse último vale a pena conhecer. Sensacional, muito alto e frio (-8°!).

014_10000km_sqAtravessamos o Chile, paramos em Antofagasta (acampamos na praia), subimos pelo litoral até Iquique, muito bonita e organizada. De lá fomos até Ollagüe (fronteira com Bolívia) por uma péssima estrada de terra nos Andes (depois soubemos que era só para carros 4×4!).

Entramos enfim na Bolívia! Mais estradas ruins até Uyuni. O combustível no país é bem caro para estrangeiros (para eles 3bs., para nós quase 9, e não adianta reclamar, é a lei). A polícia nos parou o tempo todo e sempre nos tirou algum dinheiro.

Conhecemos o Salar de Uyuni, sensacional! Já no asfalto, passamos Potosi e descansamos nos Ojos del Inca (um lago termal na cratera de um vulcão).

Paramos em Sucre, onde tivemos uma intoxicação alimentar (já esperada). A cidade tem um belo centro histórico e um mercado municipal enorme. Fomos também a La Paz. O trânsito lá é o caos. Não tem placas de pare, uma bagunça. Passeamos pela cidade, seguimos viagem até Copacabana e depois à Ilha do Sol. O Lago Titicaca, a trilha, e as ruínas incas são demais!

Começamos então a volta. Passamos por El Alto (periferia de La Paz, mais bagunçado ainda), e depois de muita terra (e pedágios) chegamos à Cochabamba. Bonita, bem antiga. E já não é mais aquele deserto perto dos Andes. Visitamos o Mercado “La Pampa” (dos maiores da América Latina!), e uma breve parada em Santa Cruz. Nos encantou também San José de Chiquitos (missões jesuítas), e voltamos ao Brasil por Corumbá.

Deixe uma resposta