TERRA ADENTRO – Cruzando de Ferry para a Baja Califórnia

Veja mais posts da TERRA ADENTRO  >>>>

Considerada uma das regiões mais bonitas e isoladas do México, até mesmo por conta de sua geografia, que a faz ser banhada por dois mares, o Pacífico à oeste e o Mar de Cortez à leste, a Baja Califórnia é praticamente inacessível para quem viaja de carro vindo da América Central, como é o nosso caso.

63_Baja

Se quiséssemos acessar a Baja Califórnia de carro, sem a necessidade de um transporte marítimo, teríamos que dirigir desde Mazatlán, local de onde partem os navios e ir até o norte, nas proximidades de Mexicali, já na fronteira com os Estados Unidos e, posteriormente, descer toda a região da Baja, até chegarmos ao extremo sul, em Cabo de San Lucas. Toda esta volta acrescentaria mais de três mil quilômetros em nossa viagem, o que tornaria a Baja Califórnia uma opção praticamente inviável.

64_Baja

Sendo assim, a alternativa de cruzar de ferry, desde Mazatlán, no estado de Sinaloa, até La Paz, na Baja Califórnia, foi a solução que encontramos para não deixar esta incrível região de fora de nosso roteiro.

“A TRAVESSIA, QUE DURA MAIS DE 12 HORAS CRUZANDO UMA BOA EXTENSÃO DO MAR DE CORTEZ, NÃO É MUITO BARATA, MAS AINDA É MAIS VIÁVEL DO QUE A OPÇÃO DE SEGUIR POR TERRA.”

No caminho para Mazatlán, desde Guadalajara, no estado de Jalisco, cruzamos por imensas barreiras do exército e, em diversas vezes, fomos parados e vistoriados. Foi quando demos conta que estávamos atravessando os dois estados mais críticos do país, Jalisco e Sinaloa. Desde a prisão do famoso traficante de drogas mexicano, El Chapo, o então poderoso cartel de Sinaloa perdeu grande força, o que fez surgir novos grupos dentro do país, entre eles a Jalisco Nueva Generación. ruzar esta região de carro é, de fato, um pouco tenso. Em cada curva, vários caminhões repletos de combatentes do exército, armados com equipamentos muito pesados, faziam a segurança das estradas.

Nós, que andávamos com um problema e outro com o Mochileiro, rezávamos para que o carro não quebrasse por ali. Ter que repará-lo neste caminho ou até mesmo correr o risco de escurecer parado à beira da estrada, não nos parecia uma boa ideia. Felizmente, antes do entardecer, chegamos em Mazatlán, aliviados por encontrar um bom lugar para dormir, enquanto esperávamos a nossa travessia de ferry, que seria no dia seguinte. Pelo fato de viajar durante à noite, o ferry que faz a travessia entre Mazatlán e La Paz oferece a opção de aluguel de quartos privativos, com banheiros e ducha. Em nosso caso, esta opção estava descartada, já que somente a travessia já nos geraria demasiados custos. Alguns dias atrás, havíamos conversado com o nosso amigo Breno Galvão, que poucas semanas antes havia realizado esta travessia e colhemos informações muito preciosas com ele. Chegamos no porto às três horas da tarde, horário recomendado pela empresa, a Baja Ferries, e logo entramos em um fila gigantesca, que durou por horas.

65_Baja

Passamos pela pesagem, por uma revista com cães farejadores e, por fim, uma vistoria fitossanitária. Já se passavam das seis da tarde quando conseguimos embarcar o Mochileiro e subir para as cabines do ferry. Seguindo o conselho do nosso amigo Breno, levamos nossos isolantes térmicos, sacos de dormir, travesseiros, lençóis e cobertor. Durante à noite, quando o sono começou a apertar, montamos o nosso acampamento no chão e dormimos por horas e horas a fio. Assim como nós, inúmeros outros passageiros estavam espalhados pelo chão, enquanto outros se enrolavam nas desconfortáveis cadeiras. A noite foi menos longa que imaginávamos, pois levamos os equipamentos certos para garantir boas horas de sono.

Quando o ferry atracou, descemos para o porão, com o intuito de tirar o Mochileiro e seguirmos viagem. Os trâmites de desembarque são tão ou mais burocráticos que os de embarque, o que nos fez esperar por umas três horas, até que estivéssemos liberados para botar o pé na estrada, o que só foi possível depois de duas revisões do exército.

66_Baja

Tudo finalizado e com os papéis carimbados, começamos a nossa jornada pela Baja Califórnia, que reservaria alguns dos momentos mais inesquecíveis de nossa volta ao mundo de carro.

Ediçao #5 Chegou

01c_SingleMag_Ed5_500

Melhores Preços na Loja Overlander

01-SideBarAd_50

Coleção Overlander

07_Bothitems_home

Conheça os Livros

01a_DayTrippers_SidebarAd
01_Capa_500-sidebar
02_CYD_APM_sidebar
03_CYD_BPT_Sidebar
Livro_standing_3D_shadow_sidebar

Sobre TERRA ADENTRO – Sabrina e Henrique
Uma Volta ao Mundo de carro pelos lugares mais remotos da Terra. Uma incrível viagem por um mundo de extremos.
  www.terraadentro.com       /terraadentropelomundo        /terraadentro   /Terra_Adentro    /c/terraadentrobr

3 thoughts on “TERRA ADENTRO – Cruzando de Ferry para a Baja Califórnia

    1. Overlander Post author

      Muito obrigada pela participação João Carlos. Entraremos em contato com o pessoal do Terra Adentro para pedir que eles mesmos lhe responda, com mais detalhes, conforme sua dúvida. Abraços.

      Reply
    2. terraadentro

      Olá, João Carlos! A nossa travessia para a Baja Califórnia custou cerca de R$750,00, para o carro e dois passageiros. A Baja Ferries cobra preços diferentes para carros maiores. Você pode fazer uma cotação no site deles: http://www.bajaferries.com. Sobre a documentação, nós precisamos apresentar nossos passaportes e a documentação de importação carro no México. Um abraço, Sabrina e Henrique.

      Reply

Deixe uma resposta